FAQ's - Perguntas mais frequentes

1. Qual o sistema mais adequado para o meu projeto?

Antes de escolher o sistema mais adequado para um projeto, no Sistema masa levamos em consideração uma série de parâmetros que influenciam diretamente na escolha final.

Tipo de material

O tipo de material que vamos colocar na fachada e a sua espessura influenciarão diretamente no tipo de ancoragem que devemos utilizar para a segurar.

Por exemplo, no caso de revestimentos leves (cerâmica, fibrocimento, compósito, etc.) utilizaremos âncoras SOV. Para revestimento de ardósia utilizaremos sistemas que não necessitam de usinagem nas bordas das peças, como CER, etc.

Distância para o exterior do revestimento

Um dos parâmetros de blindagem a ter em conta para fachadas ventiladas é a distância total (eixo X) do sistema, uma vez que nem todos os nossos sistemas têm as mesmas gamas de regulação.
Esta distância será sempre considerada desde o recinto ou suporte até à face exterior do forro ou revestimento.
É muito importante que esta distância esteja entre 6cm e 32cm, pois fora desta faixa teremos que utilizar um complemento específico ao nosso sistema de perfilamento e teremos que realizar um estudo específico do projeto para atingir essa distância.

Dimensões, Posição e Colocação do Revestimento

É necessário conhecer a relação entre os três fatores que irão definir o desenho da fachada, que são: o tamanho das placas, sua posição vertical ou horizontal e seu posicionamento em relação às demais placas, ou seja, se irão ser colocados juntos correndo, travados, com junta vertical ou horizontal livre, etc.

Por exemplo, para um quartel de 100×50 cm. Colocado na posição horizontal, nos levará a um sistema com pinça pontual em perfil vertical. Mas mesmo assim o mesmo esquartejamento de 100x50 cm. colocado verticalmente, certamente nos levará à escolha de um sistema com perfilamento horizontal (ou clipe contínuo) sobre perfilamento vertical.

Desta forma, são criadas diversas combinações entre posição e posicionamento, aqui detalhamos as mais frequentes:

-Posição Horizontal + Colocação Contínua da Junta
Sistemas para fachadas ventiladas
-Posição horizontal + posicionamento para quebrar juntas

No quadro vertical:
Sistemas para fachadas ventiladas
Na junta horizontal:
Sistemas para fachadas ventiladas
-Posição Vertical + Colocação Contínua da Junta
Sistemas para fachadas ventiladas
-Posição vertical + posicionamento para quebrar juntas
No quadro vertical:
Sistemas para fachadas ventiladas
Na junta horizontal:
Sistemas para fachadas ventiladas
Também pode haver combinações entre posições horizontais e verticais, mas geralmente não são muito comuns, como as seguintes:

– 2 cursos em Posição Vertical + 1 curso em Posição Horizontal
Sistemas para fachadas ventiladas
+Colocação de Juntas Rompe na Junta Vertical
Sistemas para fachadas ventiladas

Tipo de grampo

Quer a nossa pinça seja pontual em perfil vertical ou se seja um perfil horizontal (pinça contínua) em perfil vertical, podemos diferenciar entre sistemas com pinça visível ou pinça oculta. A utilização de um ou de outro será determinada pelo tipo de material (como no caso das ardósias que não podem ser mecanizadas) ou por uma questão de ordem económica ou estética.

Tipo de suporte

Para fazer um orçamento o mais fiável possível, precisamos também de saber em que tipo de suporte ou recinto vamos ancorar o nosso sistema, diferenciando-os nos seguintes grupos:

– Concreto (Estrutura e Invólucro)
– Cerâmica (Estrutura de Concreto e Invólucro Cerâmico)
– Metálico (Estrutura Metálica e Invólucro Cerâmico)
– Leve (Estrutura de concreto ou metálica e invólucro leve, Painéis de fibrocimento,…)
-ETC….

Dependendo do suporte e da carga resultante do conjunto, saberemos que tipo de ancoragem teremos que utilizar e também se o Sistema escolhido deverá ser autoportante com ligação embutida ou Articulado a estrutura e o fechamento, iremos temos que escolher qual ponto de ancoragem teremos, o que usar, etc... como veremos mais adiante.

Tipo de placa

Devemos também levar em consideração o tipo e a espessura das juntas exigidas pelo projeto, tanto na horizontal quanto na vertical.
Como padrão os nossos sistemas mantêm uma junta mínima de 6/7 mm. horizontalmente e permitem ajuste da junta vertical variando de 1mm (mín. recomendado) ao que o projeto exige.
Em qualquer caso, os nossos sistemas permitem ajustar as juntas através de mecanizações extra no revestimento.

Escolha do perfil e consolo adequados ao projeto

Uma vez definido o tipo de Sistema, dependendo do desenho do revestimento, devemos escolher o modelo do perfil vertical e dos cachorros a utilizar. Esta escolha também depende das características do projeto.

Devemos distinguir os perfis e cachorros do nosso sistema de acordo com os seguintes parâmetros:

-Dependendo do FORRO

Perfil vertical com pinça pontual
Sistemas para fachadas ventiladas
Perfil vertical com perfil horizontal
Sistemas para fachadas ventiladas

-Dependendo do tipo de fixação ao suporte
Articulado (A)
Sistemas para fachadas ventiladas
Vento articulado (AV)
Sistemas para fachadas ventiladas
Incorporado (E)
Sistemas para fachadas ventiladas
Vento embutido (EV)
Sistemas para fachadas ventiladas

As diferentes modalidades respondem às características do recinto.

Por exemplo, se o recinto for portante, utilizaremos a modalidade Articulado, distribuindo as cargas entre cada um dos consolos. No entanto, quando o invólucro não suporta carga, utilizaremos o modo Embutido para transmitir a carga diretamente à estrutura do edifício.

As modalidades Vento Articulado e Vento Embutido nos ajudarão em ambos os casos a reduzir a seção do Perfil Vertical contra o efeito da pressão/sucção do vento no fechamento da fachada.

Dependendo da modalidade escolhida utilizaremos suportes articulados, embutidos ou de vento.

-Dependendo do suporte

Concreto (Hor) / Cerâmica (Cer)
Sistemas para fachadas ventiladas
Metálico (Met) / Madeira
Sistemas para fachadas ventiladas

Dependendo do suporte ao qual vamos fixar o Sistema, podemos diferenciar entre suportes standard ou metálicos, estes últimos para estruturas de aço.

2. Quais benefícios a fachada ventilada proporciona em relação à fachada argamassada?

É possível distinguir dois tipos de benefícios, Técnicos e Estéticos.

TÉCNICO: Os benefícios técnicos da Fachada Ventilada em relação à Fachada Argamassada são vários e todos de capital importância.
Por se tratar de um sistema construtivo em camadas, permite que cada uma delas seja valorizada separadamente.
A composição de uma Fachada Ventilada é composta por quatro camadas, listadas de dentro para fora seriam:
1º.: Invólucro, 2º.: Isolamento térmico, 3º.: Câmara de ar e 4.: Revestimento. Outras podem ser acrescentadas a estas quatro camadas, como a 5ª: Isolamento Acústico e a 6ª: Isolamento Impermeável.

1.- TÉRMICO: A proteção térmica é obtida com a 2ª e 3ª camada. A principal função da câmara de ar é equilibrar a temperatura externa com a interna, devido ao efeito dos raios solares atingindo o Revestimento, provocam um aumento no grau térmico da temperatura da câmara, provocando um movimento ascendente do ar no interior., devido à maior volatilidade do ar quente, temperatura exterior mais fria, ar que entra pela parte inferior da fachada ou pelas juntas abertas entre as placas, conseguindo equilibrar ambas as temperaturas.
Este efeito não é aplicável no inverno, pois o ar frio externo entraria na câmara para resfriá-la e consequentemente resfriar o Invólucro (1ª camada), Para evitar esse resfriamento deve ser aplicado o Isolamento Térmico (2ª camada), que deve ser fixado ao 1ª camada e tem como finalidade evitar que o frio do exterior entre em contacto direto com o Invólucro.
A 2ª camada estimula também a 1ª camada a actuar como acumulador de calor para aquecimento interior no Inverno e também no Verão, evitando que o frio interior (ar condicionado) seja eliminado através da fachada.
Dependendo da superfície envidraçada, pode-se considerar que uma Fachada Ventilada pode gerar uma economia no consumo de energia de aproximadamente 30 a 40%.

2.- ACÚSTICA: A proteção acústica pode ser feita em duas versões: INTEGRAL, que consistiria em colocar na segunda posição contando desde o interior, entre o invólucro e o isolamento térmico, uma manta acústica específica fixada ao Invólucro, para que absorve todas as vibrações provenientes de um excesso de decibéis vindos do exterior. Inclusive colocando os Elementos de Fixação da estrutura do sistema de fachada, na frente da própria manta.

E uma segunda versão PARCIAL que consiste em colocar um isolador específico apenas na base dos Elementos de Fixação que evita que as vibrações causadas pelo excesso de decibéis sejam transmitidas para o interior.

3.- IMPERMEÁVEL: regra geral este isolamento é inerente ao isolamento térmico e/ou acústico. É uma segurança adicional aplicá-lo de forma independente.
Geralmente é aplicado no caso de não colocar o isolamento térmico na frente do invólucro, pois foi projetado no interior, neste caso consistirá em uma tinta impermeável que geralmente é aplicada com rolo. (ver características e aplicação do fabricante, recomenda-se que seja respirável de dentro para fora, para evitar condensação) 

ESTÉTICA: Neste segundo grupo merece especial destaque o aspecto da Fachada Ventilada em relação à Fachada Argamassada em termos de aspecto de humidade e eflorescência.
A Fachada Ventilada apenas está em contacto com o recinto por alguns pequenos pontos de contacto (Âncoras) que permitem o aparecimento de uma câmara de ar na parte posterior do revestimento e que permite que a água proveniente da chuva na fachada não entre acumula-se no recinto como um todo (efeito esponja). Existindo este espaço de ar interior, no momento em que o aquecimento solar na superfície do revestimento provoca uma diferença térmica exterior/interior, produz-se uma corrente de ar ascendente e contínua com tendência a equalizar ambas as temperaturas, devido à maior volatilidade do ar. ar quente (Efeito Chaminé) que favorece a eliminação, num curto espaço de tempo, da humidade vinda do exterior e consequentemente ao aparecimento de humidade e eflorescência.

3. Que garantias oferece o sistema em termos de segurança?

SEGURANÇA: É o grande atributo de uma fachada ventilada, pois a utilização da estrutura de fixação ou das âncoras de suporte são essenciais para a execução da fachada, pois sem elas a fachada não pode prosperar, modalidade que oferece grande confiabilidade.

Em contrapartida, as fachadas argamassadas em que as âncoras funcionam apenas como retenção e não são essenciais para a colocação provisória do revestimento, porque a argamassa ou cola de cimento funcionam como ventosa e permitem que a fachada seja colocada aparentemente com segurança, mas com o real possibilidade de retração da argamassa ou cimento adesivo, provocando algum descolamento no revestimento da fachada.

4. Quanto custa o sistema?

Dar um preço exato de uma fachada é muito difícil porque depende de muitos fatores que fazem com que cada fachada tenha seu próprio preço, como:
 
para. Tipo de ancoragens: fachada com ancoragens diretas (ventiladas ou argamassadas) e fachada com perfis.
b. Tipo de material: Podem ser fabricados com diversos materiais como pedra, cerâmica, fibrocimento, HPL's
c. Disposição do revestimento: Pode ser horizontal, vertical e/ou alternar ambas as disposições
d. Espessura do revestimento: As espessuras variam de 5mm a 5 cm de forma padrão
e. Saída: A saída difere nas ancoragens diretas daquelas de perfis. Nos diretos o mínimo é de 4,5 cm e nos perfis ficam em torno de 10/15 cm.
F. Tipo de fachada: Se for cega, ou seja, sem janelas, ou se houver muitas interrupções pelas janelas
g. Situação do edifício: Se se trata de uma situação exposta ou não exposta e dependendo da altura do edifício.
 
Portanto, preferimos informar o preço do departamento comercial em cada caso, exceto para âncoras diretas que podem ser fornecidas individualmente.

5. Em que tipo de gabinete o sistema pode ser suspenso?

No Sistema MASA temos um elevada gama de sistemas que permitem colocar qualquer tipo de fachada (conforme UNE 41957-1:2000 Parte 1: Subsistemas de ancoragem para revestimentos leves. Até 180,- Kg/m2.) em qualquer tipo de estrutura, seja de concreto ou metálica, e também em qualquer tipo de fechamento, portante ou não.

6. Quais são os rendimentos do sistema por metro quadrado?

Os rendimentos dependem do tipo de ancoragem e da habilidade do instalador, mas os rendimentos aproximados são geralmente os seguintes:
 
para. Argamassada: +/- 10 m2/dia/casal
b. Direto: +/- 10 m2/dia/casal
c. Perfis verticais e grampos: +/- 30 m2 / dia / casal
d. Perfis verticais e perfis horizontais: +/- 60 m2 / dia / casal

7. Em quanto tempo você poderá fornecer o material?

Temos sempre no nosso armazém o stock necessário em função dos prazos de consumo e reposição de cada artigo em material standard, ou seja, em aço inoxidável 304/A2 e alumínio extrudido bruto, para podermos fornecer de imediato. No caso do material sob medida, aço inox 316/A4 e alumínio extrudado anodizado, deve ser sempre feito sob encomenda, nunca deve ser estocado, pois tem pouquíssima rotação e é apenas para casos especiais, como áreas com ambientes agressivos. ambientes: perto do mar, em parques industriais.

8. Qual a percentagem que o sistema representa dentro de uma fachada instalada?

Não há percentual fixo, mas geralmente varia entre 20% e 30%

9. Quem faz a engenharia de fachadas ao nível dos cálculos estruturais?

Desde a sua criação, o Sistema MASA mantém uma estreita colaboração com uma das mais reconhecidas empresas de engenharia especializada em cálculos estruturais a nível internacional. Grupo de Consultoria de Engenharia BAC (www.bacecg.com). Empresa que desenvolveu todos os cálculos de gravidade, vento e cargas sísmicas adequados a ambas as Normas CTE. quanto aos Eurocódigos e estão atualmente convertendo para os padrões DIN. Além disso, contamos com um departamento próprio de Cálculo Estrutural, sob a supervisão da BAC, SL. Para estudar todos os casos particulares do estudo detalhado de uma Fachada.

10. Que tipo de isolamento pode ter uma fachada ventilada?

Uma das grandes vantagens da Fachada Ventilada é poder utilizar o Isolamento Térmico de forma contínua no exterior, protegendo todos os elementos estruturais (Lajes e Pilares) conseguindo assim a eliminação total de Pontes Térmicas.
As características fundamentais que estes Isolamentos devem cumprir é a sua resistência total ao Fogo (Capacidade Total à Prova de Fogo), além de cumprirem a sua missão Térmica, podendo também exigir resistência à Prova de Água, que deverá ser acordada com os fabricantes dependendo das condições climatéricas onde irá ser localizado o Edifício em estudo, avaliando-se as espessuras, densidades, transmitância, resistência térmica e Coeficiente Lambda (λ).

11. Com que frequência os cachorros e perfis são separados?

Cada Projecto na sua fase de estudo requer alguns cálculos e uma aplicação de Produto específico, embora seja verdade que dispomos de tabelas genéricas de "dupla entrada" que permitem aplicar os parâmetros do projecto em estudo, quer a partir da distância entre lajes, quer a partir do tamanho e espessura da placa de revestimento a ser pendurada. Este estudo detalhado permitir-nos-á escolher ou aconselhar, dentro da nossa vasta gama de soluções e produtos, o mais adequado ao projeto e é a partir deste ponto que podemos saber as distâncias entre perfis, cachorros, etc.

12. Qual a distância mínima e máxima entre a envolvente do edifício e a face visível do revestimento?

A distância é variável e está diretamente relacionada ao sistema final aplicado, sem entrar em detalhes podemos delimitar um mínimo de 5 cm. em revestimento direto com câmara de 2 cm. (mínimo possível) e um revestimento de 3 cm. mas “sem” isolamento térmico, caso necessite do isolamento, a distância deverá ser aumentada com a sua espessura.
O máximo é sempre definido pelo próprio Projeto e os fatores determinantes são: a espessura do Isolamento Térmico, a utilização de perfis verticais mais perfis horizontais, a utilização da fachada para camuflar tubulações de serviço, etc.

13. Podem existir pontes térmicas numa fachada ventilada?

Tecnicamente NÃO deveriam existir, existem meios e sistemas para evitá-los, a começar pelo isolamento térmico executado no exterior do invólucro e na estrutura.
Podem aparecer pontos conflitantes, como bordas em portas ou janelas, coroações, etc... mas são solucionáveis.

14. As peças das fachadas ventiladas são registráveis?

Os Sistemas para Fachadas Ventiladas não foram estudados para que possam ser registrados, exceto um estudo específico. O que permitem é colocar as últimas peças do revestimento, que não puderam ser colocadas na altura porque os suportes do andaime estavam ancorados, uma vez que estão a ser desmontados, sempre mecanicamente.

15. Como você posiciona as peças do aparelho?

Varia dependendo do sistema. Em todos os casos é imprescindível que a junta seja a mesma, mecânica ou química, que foi utilizada no resto do revestimento.

16. Se alguma peça do interior da fachada quebrar, como é feita a reparação?

Como regra geral, a placa quebrada deve ser retirada e colocada da mesma forma como se fosse uma peça do caso anterior.

17. Qual a espessura de revestimento recomendada para trabalhar com fachada ventilada?

A espessura do revestimento varia conforme o tipo de revestimento, seja ele Pedra, Cerâmica, Fibrocimento, HPL. etc... para cada tipo de revestimento existe um sistema específico que se adapta à espessura.

18. Uma fachada ventilada necessita de manutenção?

A primeira manutenção é uma boa fiscalização no momento da execução e uma boa limpeza antes da desmontagem do andaime.  
O CTE em seu Documento Básico HS Saúde estabelece e recomenda:
– Verificação do estado de conservação do revestimento: possível aparecimento de fissuras, descolamentos, humidade e manchas. …………..A cada 3 anos.
– Verificação do estado de conservação de pontos singulares, ver: esquinas, coroações, saliências, copas, etc……….….A cada 3 anos.
– Verificação da possível existência de fissuras e fissuras, bem como de colapsos ou outras deformações, na chapa principal………..…..A cada 5 anos.
Verificação do estado de limpeza das feridas ou das aberturas de ventilação da câmara………………………………………..….A cada 10 anos

19. O revestimento pode ser colocado em qualquer posição e com qualquer tipo de junta?

No Sistema MASA dispomos de uma elevada gama de sistemas que permitem colocar qualquer tipo de Fachada com qualquer tipo de posição e caso não consigamos resolver com a aplicação dos Sistemas standard, desenharemos a sua própria.

20. Quais são as aplicações da fachada ventilada?

A fachada ventilada tem múltiplas aplicações como: hotéis, escritórios, residências unifamiliares, residências multifamiliares, universidades, hospitais, escolas, casinos, centros comerciais, bibliotecas, museus, centros desportivos, lares de idosos, funerárias, teatros, etc. .